Repetição de abortosAs mulheres que se sujeitam a um aborto ficam expostas a um risco acrescido de recorrer a mais abortos no futuro. Mulheres com uma experiência anterior de aborto têm 4 vezes mais probabilidades de abortar novamente do que aquelas que nunca recorreram ao aborto (1). Uma ocorrência estranha em alguns abortos é que as mulheres apresentam como motivação de realizarem um novo aborto a auto-punição. (2)

Um estudo realizado na França entre 12.432 mulheres que tiveram um único parto numa maternidade publica ou privada durante uma semana em 1995 revelou que as que já tinham realizado um ou mais abortos induzidos tinham maior probabilidade de não serem casadas, menor probabilidade de estarem empregados durante a gravidez, tinham um nível de habilitações mais baixo, maior incidência de cuidados pré-natais inadequados e maior probabilidade de fumar durante a gravidez (3). Para além disso, apresentaram uma maior incidência de partos prematuros quando comparadas com mulheres que apenas tinham sido sujeitas a um único aborto ou nunca tinham realizado nenhum.

1. Joyce, T. (1988). The Social and Economic Correlates of Pregnancy Resolution among Adolescents in New-York-City, by Race and Ethnicity – a Multivariate-Analysis. American Journal of Public Health 78(6):626-631.; Henshaw, S.K. and Silverman, J. (1988). The Characteristics and Prior Contraceptive Use of United-States Abortion Patients. Family Planning Perspectives 20(4):158-&.; Belsey, E.M., Greer, H.S., Lal, S., Lewis, S.C. and Beard, R.W. (1977). Predictive Factors in Emotional Response to Abortion – Kings Termination Study .4. Social Science & Medicine 11(2):71-82.; Freeman, E.W., Rickels, K., Huggins, G.R., Garcia, C.R. and Polin, J. (1980). Emotional Distress Patterns among Women Having 1st or Repeat Abortions. Obstetrics and Gynecology 55(5):630-642.

2. Leach, J. (1977). Repeat Abortion Patient. Family Planning Perspectives 9(1):37-39. Fischer, S. (1986). Reflection on Repeated Abortions: The meanings and motivations. Journal of Social Work Practice 2(2):70-87. Howe, B., Kaplan, H.R. and English, C. (1979). Repeat Abortions – Blaming the Victims. American Journal of Public Health 69(12):1242-1246.

3. Henriet, L. and Kaminski, M. (2001). Impact of induced abortions on subsequent pregnancy outcome: the 1995 French national perinatal survey. British Journal of Obstetrics and Gynaecology 108(10):1036-1042.

(Agradecemos a M. D. Mateus a autorização para publicar na Aldeia este seu trabalho)