Ratzinger e o aborto

Quando se chegou ao consenso de que uma criança, que se supõe nascerá com deficiências, deve ser abortada para poupar, a ele e às outras pessoas, o peso da sua existência, está-se a fazer um escárnio a todos os deficientes: está-se a dizer-lhes que só existem porque a ciência não tinha ainda alcançado o progresso actual.

(Ratzinger, Cristianismo y Democracia Pluralista, in Scripta Theologica 16, 1984/3).