O sangramento após um aborto induzido é geralmente semelhante ao período menstrual normal. Mas as hemorragias são frequentes após um aborto induzido e podem indicar que partes da placenta ainda ficaram dentro do útero. Quase sempre a mulher recupera mas, em alguns casos, torna-se necessária uma transfusão de sangue. Em casos de clínicas mal preparadas (em que é elevada percentagem em todos os países onde o aborto é legal), este tipo de problemas implica que a mulher seja transferida para um hospital de modo a poder receber uma transfusão de sangue e ser sujeita a uma cirurgia de emergência. Atrasos neste processo têm sido apontados como a causa de morte de muitas mulheres que se submetem a um aborto induzido. Quando a hemorragia resulta de partes da placenta que ainda ficaram dentro do útero, a mulher tem que se sujeitar de novo a um procedimento semelhante ao do aborto (geralmente por aspiração). É necessário realçar que um aborto realizado em clínicas especializadas não resolve este problema, porque ainda assim a mulher tem de ser transferida para um hospital.

(Agradecemos a M. D. Mateus a autorização para publicar na Aldeia este seu trabalho)