Aborto na Aldeia

Aborto: uma mulher não devia nunca ficar numa situação na qual admite eliminar a sua criança, e tem de tomar uma decisão sobre isso. Estando grávida, precisaria de protecção, e não de ficar exposta àquilo que é, talvez, o que de mais contrário à natureza existe.

Abortar não é, de todo, uma ação sem consequências, como beber um copo de água. Por cada criança abortada, há uma vida humana a menos. E existem, por outro lado, consequências psíquicas e físicas gravíssimas na mulher que abortou.

Depois de se ter abortado, a vida não continua como se nada tivesse acontecido. Ainda que tudo tenha sido feito em segredo, mesmo que ninguém tenha visto nada.

depoimentos

de mulheres

que abortaram

 

Neste lugar quisemos ter muita informação sobre o abortamento provocado. Pessoas informadas pensam melhor e decidem melhor. Não é bom que a nossa cabeça se oriente por campanhas nos meios de comunicação, que, muitas vezes, são manipulados por quem tem interesses particulares – económicos ou ideológicos – nesta prática.

Quando numa sociedade se admite, sem grandes inconvenientes, o aborto, é evidente que essa sociedade está muito doente. Nada de bom se pode construir sobre a ideia de que as pessoas podem ser eliminadas quando isso dá jeito.

Os materiais estão organizados nas principais secções, que se encontram no menu superior.